Caxias e as 500 maiores empresas do Brasil

Caxias e as 500 maiores empresas do Brasil.
Anualmente, a revista Exame publica a lista das 500 melhores e maiores empresas do país. Este ano a lista passou a ser das 1000 maiores e melhores analisando o ano de 2008.
Um trio representando cada um dos estados da região inicia a lista. A Bunge Alimentos (SC), a Vivo (PR) e a Refap (RS), empresas dos setores de bens de consumo, telecomunicações e petroquímica que faturaram em 2008 10,1; 8,8 e 5,9 bilhões de dólares, respectivamente.
Examinando a lista das 100 maiores do sul verificamos que 38 empresas são do Rio Grande do Sul. Nove destas empresas são do setor metal mecânico, área de atuação importante para o Instituto Nacional de Engenharia de Superfícies, o I.N.E.S.
O município de Caxias do Sul abriga quatro destas nove super empresas: A Marcopolo, a Randon, a Suspensys e a Agrale que ocupam os 29o, 34o, 53o e 71o lugar na lista das maires empresas do Sul do Brasil. A Marcopolo mantém a mesma posição de 2007 enquanto que as três outras avançaram. Mais importante, mantiveram-se rentáveis apesar dos resultados do segundo semestre de 2008 já incorporarem os reflexos negativos da crise.
A importância econômica do município de Caxias do Sul no Estado é evidente. As nove super empresas venderam juntas mais de 6 bilhões de dólares sendo que as quatro empresas caxienses venderam um terço deste valor, aproximadamente.
A contribuição do I.N.E.S. para as este seleto grupo de empresas é evidente especialmente para as autoindústrias. Para estas a redução das perdas por atrito é vital, para atender as exigências para redução do consumo de energia. E, neste ponto,.o desenvolvimento tecnológico passa necessariamente pela Engenharia de Superfícies.
05-08-2009 Amilton Sinatora
7 – Oportunidade para inovação tecnológica.
A reportagem da jornalista Samantha Lima publicada na Folha de São Paulo, edição de domingo, 26 de julho de 2009, interessa profundamente ás empresas do pólo industrial de Caxias do Sul e, portanto, aos professores e estudantes da Universidade de Caxias do Sul. As micro e pequenas empresas, aquelas que tem menos de 50 funcionários, são 98% das empresas do no Brasil, ou seja,  mais de 4,5 milhões num total de 4,6 milhões de empresas!! Mais expressivo do que seu número é o número de empregos gerados por estas empresas nesta recessão.  Elas contrataram 450 mil funcionários em 2009 (até junho) enquanto que as médias e grandes demitiram 150 mil!
Estes dados me levam a duas reflexões. Quanto maiores as empresas, mais intensivas em capital elas são, ou seja, são necessários grandes investimentos para que estas empresas se atualizem e gerem alguns empregos diretos. Do outro lado, as micro e pequenas empresas necessitam de pouco capital para gerar empregos. O que vale para investimentos em equipamentos ou obras, vale para investimentos em pesquisa e inovação.
A segunda é sobre a importância do I.N.E.S. no pólo industrial de Caxias do Sul onde mais de 2000 pequenas e médias empresas são filiadas ao SIMECS.  Levar a inovação a estas empresas equivale a gerar empregos mais qualificados e portanto mais resistentes ás inevitáveis crises econômicas.
A propósito, para estimular a inserção de mestres e doutores nas micro e pequenas empresas” , está aberto até dia 31/08/2009 o edital  MCT/SETEC/CNPq Nº 67/2008 – RHAE . As condições para participar  estão em http://www.cnpq.br/editais/ct/2008/067.htm. Tenho certeza de que todos os pesquisadores do I.N.E.S. estarão á disposição das empresas de Caxias para colaborar na elaboração de propostas.
28-07-2009 Amilton Sinatora
Anualmente, a revista Exame publica a lista das 500 melhores e maiores empresas do país. Este ano a lista passou a ser das 1000 maiores e melhores analisando o ano de 2008.
Um trio representando cada um dos estados da região inicia a lista. A Bunge Alimentos (SC), a Vivo (PR) e a Refap (RS), empresas dos setores de bens de consumo, telecomunicações e petroquímica que faturaram em 2008 10,1;  8,8 e  5,9 bilhões de dólares, respectivamente.
Examinando a lista das 100 maiores do sul verificamos que 38 empresas são do Rio Grande do Sul. Nove destas empresas são do setor metal mecânico, área de atuação importante para o Instituto Nacional de Engenharia de Superfícies, o I.N.E.S.
O município de Caxias do Sul abriga quatro destas nove super empresas: A Marcopolo, a Randon, a Suspensys e a Agrale que ocupam os 29o, 34o, 53o e 71o lugar na lista das maiores empresas do Sul do Brasil. A Marcopolo mantém a mesma posição de 2007 enquanto que as três outras avançaram. Mais importante, mantiveram-se rentáveis apesar dos resultados do segundo semestre de 2008 já incorporarem os reflexos negativos da crise.
A importância econômica do município de Caxias do Sul no Estado é evidente. As nove super empresas venderam juntas mais de 6 bilhões de dólares sendo que as quatro empresas caxienses venderam um terço deste valor, aproximadamente.
A contribuição do I.N.E.S. para as este seleto grupo de empresas é evidente especialmente para as autoindústrias. Para estas, a redução das perdas por atrito é vital, para atender as exigências para redução do consumo de energia. E, neste ponto, o desenvolvimento tecnológico passa necessariamente pela Engenharia de Superfícies.
Amilton Sinatora
About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 46 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: